História da freguesia de Carrapichana

Imagem relacionada

O princípio da fundação da Carrapichana, data do século XVIII, sendo pertença de D. João V. Até 1855, pertencia à comarca de Linhares, extinta nessa data. Carrapichana conheceu parte do seu desenvolvimento graças ao mercado que aí se realiza, tendo sido outrora, povoação conhecida por fazer mantas de farrapos e por uma heroína que a esvaziar copos de vinho deixava muitos homens envergonhados.

Teria existido na Carrapichana um antigo monumento fúnebre (Anta), do tempo dos Celtas, mas o tempo ou outro factor, foram responsáveis pelo seu desaparecimento. Porém, nos lugares da Cabrieira e Moitas, existem, cavadas nas pedras, duas sepulturas antigas. O penedo, Pedra da Escusa, era o lugar onde eram arrematados os baldios, pertencentes à comarca de Linhares.

Hoje, a Carrapichana é um local conhecido por toda a região, pelo importante peso nas transacções agrícolas regionais. É neste mercado quinzenal, que grande parte dos negociantes de gado vêm abastecer-se de borregos e pequenos ruminantes. O queijo, é um outro produto de importância, ali comprado e vendido. Ao nível do queijo, pode mesmo dizer-se que o "Mercado da Carrapichana'' é um dos melhores da região, estando em terceiro lugar, logo a seguir aos mercados de Celorico da Beira e Fornos de Algodres, sendo o "Mercado da Carrapichana'' o pólo dinamizador, em torno do qual gira a comunidade agrícola da freguesia e da região.